Sustentabilidade e relacionamentos em Gestão de Pessoas

Artigo Publicado 11/11/2015 às 13:31

Descrição:

Vivemos em um mundo capitalista, onde os objetivos empresariais, econômicos e sociais, baseiam-se em primeira instância, no aspecto 'Ter', 'Possuir', 'Crescer', 'estar à frente'.

            Desde nossa infância, já somos condicionados a uma visão consumista, seja através de observações dos diálogos entre os adultos que nos rodeiam, seja pela mídia, seja pelos colegas ou professores. Esta condição move nossos desejos e vontades, por consequência, nossas ações e relacionamentos em geral. Tudo está relacionado, visto que mesmo inconscientemente, acabaremos fazendo parte deste ciclo, pois nós humanos temos a necessidade de pertencer a grupos, para poder viver de forma saudável.

            Então, passamos a cobiçar objetos, relacionamentos, posições, entre outros. A medida que o tempo vai passando, vamos vivenciando momentos de sucessos e insucessos nos nossos planejamentos. O segundo, poderá causar frustração, pois está diretamente relacionado as nossas expectativas e anseios. Neste momento, cabe a cada pessoa o acionamento de suas competências intrapessoais, como resiliência, por exemplo.

            Porém, se o sujeito ao passar por dificuldades, não conseguir elaborá-las para dar seguimento aos seus projetos de vida, poderá causar grandes transtornos tanto para si, quanto para os que o rodeiam, visto que a ótica na qual passará a enxergar as situações, estará propensa a sentimentos negativos, como desejos de crescer a qualquer custo, comportamentos antissociais envolvendo rompimento de princípios éticos e morais, ou até mesmo, isolamento social.

            Diariamente, em um ritmo frenético, a tecnologia vem avançando, e com ela, nossa 'necessidade' de vivermos em constante atualização, afinal, fica difícil aceitar que o vizinho tenha comprado o Audi do ano, e nós estejamos ainda com um Fiat 2013.


       Objetos de uso pessoal como computadores, notebooks, celulares, entre outros, possuem vida útil de pouco mais de dois anos, em média. Para cada um deles existe um 'lixo' adequado. Infelizmente, ainda são poucas as pessoas com acesso a esta informação, e os que já tem conhecimento, muitas vezes não fazem o descarte adequado. Sabemos que para que possamos conviver em um mundo menos poluído, menos consumista e mais consciência ecologicamente sustentável, devemos começar pela reciclagem individual. A partir da mudança de hábitos individuais, passaremos a dar exemplos aos que nos rodeiam, e assim, formaremos uma grande corrente, que começará em casa, irá para escolas, universidades e empresas.

            Portanto, não se pode deixar de pensar em relacionamentos, quando falamos em sustentabilidade na gestão de pessoas. A sustentabilidade, em linhas gerais, se trata de usar conscientemente e de modo respeitador, as coisas que nos rodeiam, para que as próximas gerações também possam usá-las.

 Por: Psicóloga Sanny Azambuja


Arquivo para Visualização